ONG Risonhos


  • Novo Tópico
  • Responder ao tópico

Coisas de Zé Coisó

Compartilhe
avatar
Igor
Malabarista
Malabarista

Mensagens : 390
Data de inscrição : 22/07/2012
Idade : 26

Coisas de Zé Coisó

Mensagem por Igor em Seg 7 Jan 2013 - 11:35

Vou entrar nessa onda de diário! Se Pimenta e Zambeta podem ter, Zé Coisó vai cair pra dentro tb \o//
avatar
Igor
Malabarista
Malabarista

Mensagens : 390
Data de inscrição : 22/07/2012
Idade : 26

Re: Coisas de Zé Coisó

Mensagem por Igor em Seg 7 Jan 2013 - 12:21

O Primeiro Choro, a Gente Nunca Esquece

Tudo corria normal naquela tarde IJFiana, na enfermaria 14. Zé Coisó, Yoti e Loli Babá, por meio de histórias com pé, mas sem cabeça, mágicas que David Copperfield aplaudiria de pé, arrancavam risos de todos os tipos: tímidos, banguelos, frouxos, risos de criança.
Da mente de um palhaço pode sair qualquer coisa, desde piolhos atômicos até ideias de outra galáxia. Zé Coisó, matutando dentro de sua cartola, teve uma dessas:
- Se vocês contarem histórias, a gente [o palhaço nosso de cada dia] faz tudo que a história disser, o que acham?
As crianças, num só coro, concordaram. Elaine nem tanto.

Zé Coisó, na sua empolgação de querer saber que personagem seria na história criada pelos pequenos contadores de histórias, perguntou:
- Eu vou ser quem?
As crianças responderam:
- Uma minhoca!

Nunca na história desse país, coube em um quarto uma minhoca, uma cobra, uma girafa, um elefante e uma tartaruga!

Depois de indicar os personagens, logo as histórias começaram a ser narradas. Zé Coisó, no seu remelexo frenético de minhoca aflita, aguardava seu fim trágico a medida que cada criança orientava o elefante a pisar a cobra, a cobra a picar a girafa e a tartaruga a morrer afogada! No fim, o destino dos bichos do zoológico recém-criado era o mesmo...

Chegando a vez da Elaine, percebemos que ela não estava muito aberta pra falar que a minhoca ia ser pisada pelo elefante ou que a minhoca Zé Coisó ia entrar no anzol pra pescar a tartaruga naquela hora. A pequena começou a mostrar um certo
incômodo, não pela beleza as avessas do palhaço mais gato de toda Caucaia, mas sim pela dor que estava chegando.
Elaine, então, passou a gemer, depois gritar e depois urrar de dor!
Yoti, Loli Babá e Zé Coisó se olhavam, sem saber o que fazer. Ela pedia remédio
pra dor poder passar, mas não podia tomar pois fazia pouco tempo que havia tomado. A tia da menina, acompanhante de nome estranho, nos olhava aflita, pedindo com olhos para que nós fizéssemos ela parar de chorar. No meio dos gritos de dor da
pequena, Zé Coisó pergunta:
- Elaine, sei que está doendo, mas será que se a gente cantar a dor não passa?
Ela não respondeu, mas mostrou que era o que ela queria.
Na hora, começamos a cantar! E, magicamente, os gritos foram diminuindo até que ela ficou calada, ouvindo a música!

O zoológico da imaginação foi mágico, mas o poder da música superou qualquer minhoca, qualquer elefante ou girafa de bolinhas azuis com listras verdes!
avatar
Gleidson
Palhaço de Circo
Palhaço de Circo

Mensagens : 891
Data de inscrição : 30/07/2012
Idade : 30

Re: Coisas de Zé Coisó

Mensagem por Gleidson em Seg 7 Jan 2013 - 13:55

Lembro muito bem desse dia, foi no meu 2º ato assistido e primeira vez no IJF. Foi tenso mesmo, mas foi mágico como o cantarolar dos palhaços fez a Elaine se acalmar, sua acompanhante estava tão aflita e que ficou deslumbrada com o alívio da criança.
avatar
Igor
Malabarista
Malabarista

Mensagens : 390
Data de inscrição : 22/07/2012
Idade : 26

Re: Coisas de Zé Coisó

Mensagem por Igor em Seg 7 Jan 2013 - 23:54

Operação Elefante Azul com Listras Amarelas

elephant

O último quarto da enfermaria 14 do IJF estava movimentado. Com as 4 camas ocupadas, todos habilitados é claro, e um trio de três, quatro ou cinco palhaços, nem quem estava com pé engessado ou com riso apertado com chave inglesa conseguia conter a animação e as estripulias feitas pelos narizes vermelhos, verdes e amarelos.

- Palhaço, o que tem nessa sua cartola?

Zé Coisó nem pensa duas vezes e, com suas anteninhas de vinil, viu que daquela pergunta sairia algo no mínimo espetacular.
- Como o que tem? Aqui pode ter tudo que você imaginar!
- Como o que? Coelho? – pergunta o menino, sem dar muito crédito ao que fora dito.
- Não só coelhos! Tudo que você imaginar.
Animados com o ‘tudo que você imaginar’, pedem:
- Então faz uma mágica!

Zé Coisó, prepara-se, puxa a manga da blusa, melindroso como sempre, ajeita os botões amarelos e azuis, nada discretos, coça as orelhas e suspende ainda mais o suspensório, exibindo seu charme sem igual, e tirando a cartola da cabeça pede que cada um dê um sopro dentro do fantástico adereço encantado e fale algumas palavras mágicas.

- Abracadabra! Alakazum! Alakazam! Pã rã pã pã!
Agora, com a magia dos sopros e das palavras mágicas contidas dentro da cartola, tudo podia acontecer, tudo mesmo. Zé Coisó, depois de mexer as mãos sobre a cartola, feito uma mágico letrado de 1ª categoria, coloca uma mão dentro da cartola e com toda a força do mundo puxa algo de dentro.
Sim, é um elefante! Arranca um elefante enorme de dentro da cartola e o coloca dentro do quarto!
- Você estão vendo? – pergunta o palhaço para as crianças, olhando bem pra cima pra mostrar que o bicho é enorme.
Negando a existência do orelhudo e cabeçudo elefante, as crianças falam:
- Vendo o que? Não tem nada aqui!
Zé Coisó, com mais uma carta na mão, fala:
- Não estão vendo? Ah! É por que esse elefante só pode ser visto por crianças inteligentes!

Na mesma hora, todos do quarto limpam sua visão, colocando óculos invisíveis com lentes de imaginação e exclamam:
- Nossa! Que elefante enorme!
Foi o pretexto pra diversão começar. Zé Coisó pergunta então pra cada criança como o elefante é.
- Azul! – fala uma criança.
- Azul de bolinhas verdes! – afirma outra.
- Não, bolinhas verdes não! São listras amarelas – impõe outra criança.

Como pode um elefante azul com listras amarelas caber dentro de um quarto? Sim, ele podia estar lá e estava!
A imaginação corria solta quando uma observação fisiológica no elefante mobilizou todo o quarto:
- Ele fez cocô! – apontou uma criança.
- Olha o tamanho do cocô! – observou outra.
Como pode um elefante azul de listras amarelas fazer cocô no meio do quarto? Porcalhão! A solução para resolver tamanho atrevimento, e põe tamanho nisso, foi leva-lo para o banheiro, lugar onde ele deveria estar pra fazer isso.
- Como vamos levar o elefante para o banheiro? Cada um segura em uma parte do corpão dele! – sugeriu Zé Coisó.

Impressionantemente, cada criança, dentro de suas restrições ligadas à hospitalização, umas até com perna imobilizada, segurou em uma parte do elefante: uma em cada pata, tromba e o Zé Coisó, sortudo como ele, ficou com o fiofó sujo do grandão!

Cena linda: palhaços e crianças arrastando um elefante azul de listras amarelas sujo de cocô até o banheiro.

Foi quando ao chegar à porta do banheiro, um pequeno que estava segurando uma das patas do gigante animal grita “Ele entalou!”. Vendo que o bicho realmente entalara, todos com uma força enorme, maior que até o elefante azul de listras amarelas, empurram o grandão. “Lá vai um, lá vai dois, lá vai três”. “Desentalou!”
Tarde perfeita, tarde mágica.

Resultado da operação: um elefante azul de listras amarelas preso no banheiro e um cocô enorme de elefante no meio do quarto!
avatar
Glauber
Malabarista
Malabarista

Mensagens : 563
Data de inscrição : 23/07/2012

Re: Coisas de Zé Coisó

Mensagem por Glauber em Ter 8 Jan 2013 - 8:09

kkkkkkkkkkkkkkk
avatar
Igor
Malabarista
Malabarista

Mensagens : 390
Data de inscrição : 22/07/2012
Idade : 26

Re: Coisas de Zé Coisó

Mensagem por Igor em Qui 2 Maio 2013 - 18:04

Compras no Supermercado do 4º andar

Zé Coisó anda muito bem acompanhado ultimamente. Muitos perguntam se são elegantes, bonitas e mimosas as companhias, Zé Coisó diria que elas têm saúde. Estar no meio de duas doutoras besteirologistas com o garbo e malemolência que Doutora Sementinha e Doutora Kajuína, com K, possuem é para poucos. Zé Coisó não precisa mais pegar ficha pra apertar seus risos frouxos ou pra desparafusar seu miolo mole; ele agora anda com doutoras!

Ao chegar no 4º andar do HIAS, o trio, Zé Coisó, Dra. Kajuína e Dra. Sementinha, conversaram com uma moça que aparentava ser enfermeira. Sim, aparentava, já que os 3, ao verem um martelo na bancada que ela estava, imaginaram que a mesma poderia ser uma juíza prestes a falar: “Silêncio no tribunal!”.

Depois da meritíssima juíza do 4º andar informar que nenhum asteroide havia entrado em nenhum quarto pelo teto e nenhum macaco falante havia estado ali naquela tarde, o trio avistou algumas crianças.

Os palhaços se apresentaram e logo viram que os pequenos, na verdade, estavam dentro de um supermercado e ainda não sabiam. Não sabiam por que ainda não tinham visto que nas paredes haviam prateleiras, e nas prateleiras estavam frutas de todos os tipos, pães, verduras e legumes, além de cestinhas coloridas para carregar as compras, um típico supermercado!
Prontamente, Dra. Sementinha assume que será a caixa do supermercado, já que supermercado sem caixa não é supermercado. Mas, como a tarefa de caixa de supermercado é bem difícil, o auxílio de alguém que empacotasse as compras se fez necessário. Sendo assim, logo arrumaram uma empacotadora.

Zé Coisó e Dra. Kajuína seguiram ajudando as crianças, que seguravam suas cestas de compras, a decidirem o que deveriam levar daquele supermercado tão sortido.
- Você vai querer quantos pães? - pergunta Zé Coisó ao garoto que segurava, além de sua cesta de compras, uma bolsa de plástico ligada à sua barriga, bem estiloso, segundo o palhaço.
- 1 pão! – responde o pequeno, ‘pegando’ o pão e arrumando dentro da cesta.
- E laranja?
O garoto responde que não queria laranja, talvez por que achasse que estaria muito cara.
Ao ver o abacaxi, o pequeno fala que iria querer 5! Pega um a um e coloca na cesta.
Zé Coisó o alerta:
- Você não acha melhor organizar os abacaxis? Eles podem amassar o pão.
- É verdade – responde o menino que ao mesmo tempo empurra os 5 abacaxis para um lado da cesta pra evitar que o pão fique amassado.
- Quer ajuda com a cesta, ela deve estar pesada com tantos abacaxis?
- Não precisa, eu aguento – fala o pequeno.
Chegando ao caixa, Dra. Sementinha recebe os produtos e todos esperam o preço das compras, com medo que tudo saia muito caro devido à inflação em cima dos abacaxis e do pão atualmente.
- 1 pão + 5 abacaxis, deu... 2 centavos! – Diz dra. Sementinha.
E complementa:
- Mas se não tiver esse dinheiro todo, a gente pendura na conta aqui...

A empacotadora, que disse ter 7 anos, arrumou tudo na sacola, depois entregou ao cliente do supermercado seu pão e seus 5 abacaxis e teve que abandonar o cargo já que não tinha idade pra ser jovem aprendiz ainda.

Bem que, no supermercado do 4º andar, tudo pode acontecer, empacotadora pode ter 7 anos, besteirologista pode ser caixa, ervilhas podem ter gosto de uva verde e cestas cheias de compras valem no máximo 2 centavos.
avatar
Gerlane
Malabarista
Malabarista

Mensagens : 587
Data de inscrição : 16/09/2011
Idade : 27

Re: Coisas de Zé Coisó

Mensagem por Gerlane em Sab 4 Maio 2013 - 21:12

Igor Brasil escreveu:Compras no Supermercado do 4º andar

Zé Coisó anda muito bem acompanhado ultimamente. Muitos perguntam se são elegantes, bonitas e mimosas as companhias, Zé Coisó diria que elas têm saúde. Estar no meio de duas doutoras besteirologistas com o garbo e malemolência que Doutora Sementinha e Doutora Kajuína, com K, possuem é para poucos. Zé Coisó não precisa mais pegar ficha pra apertar seus risos frouxos ou pra desparafusar seu miolo mole; ele agora anda com doutoras!

Ao chegar no 4º andar do HIAS, o trio, Zé Coisó, Dra. Kajuína e Dra. Sementinha, conversaram com uma moça que aparentava ser enfermeira. Sim, aparentava, já que os 3, ao verem um martelo na bancada que ela estava, imaginaram que a mesma poderia ser uma juíza prestes a falar: “Silêncio no tribunal!”.

Depois da meritíssima juíza do 4º andar informar que nenhum asteroide havia entrado em nenhum quarto pelo teto e nenhum macaco falante havia estado ali naquela tarde, o trio avistou algumas crianças.

Os palhaços se apresentaram e logo viram que os pequenos, na verdade, estavam dentro de um supermercado e ainda não sabiam. Não sabiam por que ainda não tinham visto que nas paredes haviam prateleiras, e nas prateleiras estavam frutas de todos os tipos, pães, verduras e legumes, além de cestinhas coloridas para carregar as compras, um típico supermercado!
Prontamente, Dra. Sementinha assume que será a caixa do supermercado, já que supermercado sem caixa não é supermercado. Mas, como a tarefa de caixa de supermercado é bem difícil, o auxílio de alguém que empacotasse as compras se fez necessário. Sendo assim, logo arrumaram uma empacotadora.

Zé Coisó e Dra. Kajuína seguiram ajudando as crianças, que seguravam suas cestas de compras, a decidirem o que deveriam levar daquele supermercado tão sortido.
- Você vai querer quantos pães? - pergunta Zé Coisó ao garoto que segurava, além de sua cesta de compras, uma bolsa de plástico ligada à sua barriga, bem estiloso, segundo o palhaço.
- 1 pão! – responde o pequeno, ‘pegando’ o pão e arrumando dentro da cesta.
- E laranja?
O garoto responde que não queria laranja, talvez por que achasse que estaria muito cara.
Ao ver o abacaxi, o pequeno fala que iria querer 5! Pega um a um e coloca na cesta.
Zé Coisó o alerta:
- Você não acha melhor organizar os abacaxis? Eles podem amassar o pão.
- É verdade – responde o menino que ao mesmo tempo empurra os 5 abacaxis para um lado da cesta pra evitar que o pão fique amassado.
- Quer ajuda com a cesta, ela deve estar pesada com tantos abacaxis?
- Não precisa, eu aguento – fala o pequeno.
Chegando ao caixa, Dra. Sementinha recebe os produtos e todos esperam o preço das compras, com medo que tudo saia muito caro devido à inflação em cima dos abacaxis e do pão atualmente.
- 1 pão + 5 abacaxis, deu... 2 centavos! – Diz dra. Sementinha.
E complementa:
- Mas se não tiver esse dinheiro todo, a gente pendura na conta aqui...

A empacotadora, que disse ter 7 anos, arrumou tudo na sacola, depois entregou ao cliente do supermercado seu pão e seus 5 abacaxis e teve que abandonar o cargo já que não tinha idade pra ser jovem aprendiz ainda.

Bem que, no supermercado do 4º andar, tudo pode acontecer, empacotadora pode ter 7 anos, besteirologista pode ser caixa, ervilhas podem ter gosto de uva verde e cestas cheias de compras valem no máximo 2 centavos.
Depois desse dia,acho que vou virar caixa de mercadinho ou melhor dona de um.Lucrei muito,no total apurei uns 20 centavos e umas continhas no caderninho dos fiados.
Como disse um garoto no dia:
-É assim que o país vai pra frente....
avatar
Igor
Malabarista
Malabarista

Mensagens : 390
Data de inscrição : 22/07/2012
Idade : 26

Re: Coisas de Zé Coisó

Mensagem por Igor em Qua 15 Maio 2013 - 18:49

Empolgado na dança

Zé Coisó, Maria Pin e Lero Lero marcaram um encontro no Bloco B do Albert Sabin. Limpinhos como eles bem são, lavaram as mãos, braços, cotovelos e detrás das orelhas pra passarem boa impressão pras crianças. Sem remelas, chulés ou catotas de nariz, chegaram nos quartos munidos de suas bolhas de sabão e pandeiro de um ritmo só.

Nos quartos, se alternavam em apresentar e participar de festivais de caretas, com direito a performances zoológicas, concurso de forró das antigas, com direito a Maria Pin cantando e encantando músicas do 'tempo do Ronca', e show de talentos dançantes, no último quarto.
Zé Coisó se mete a ser apresentador e anuncia que todos mostrariam seus talentos tomando como base as músicas que as crianças e acompanhantes indicassem. Surgiu então 'Eguinha Pocotó' e Michael Jackson, de cara.

Iludido, Zé Coisó matuta consigo que ficaria de fora do show, já que era apresentador.
Maria Pin, para alegria de todos, assume o lugar de apresentadora e Zé Coisó se prepara para a dança. Michael Zé Coisó Jakcson!

Com seu inglês e sotaque naturalizado da Caucaia, canta e dança aos berros. Não esquecendo do famoso "Auuuu! e a puxada no fundo de calça", característico da artista.

A empolgação e os risos foram tantos, que uma enfermeira que passava pela porta chama os palhaços e fala:
- O negócio tá bom, mas tem como cantar mais baixo? Estão perguntando o que tá acontecendo!
O show se encerra com muitas risadas registradas.
avatar
Igor
Malabarista
Malabarista

Mensagens : 390
Data de inscrição : 22/07/2012
Idade : 26

Re: Coisas de Zé Coisó

Mensagem por Igor em Qua 15 Maio 2013 - 19:35

Chupeta que não existe

Zé Coisó e Laurindinha estavam no 2º andar do HIAS.
Brincaram, cantaram e, já perto de ir embora, avistaram Paulo, uma criança tinha por volta de seus 5/6 anos, que tinha acordado há pouco tempo.
- Olha Zé Coisó, o Paulo chupa chupeta! - comenta Laurindinha.
Paulo, que não era bobo nem nada, esconde a chupeta bem rápido e Zé Coisó vai ao encontro dos dois e não vê chupeta nenhuma.
- Que chupeta? - pergunta Zé Coisó.
- Ele chupava chupeta! - fala confusa Laurindinha.
- Eu não! - fala Paulo, convencido que nunca existiu chupeta.
Laurindinha, aflita com a não existência da chupeta, pergunta a todos do quarto se o Paulo realmente tinha chupeta. Todos negam, todos compraram a brincadeira!
Zé Coisó sugere que apertem os parafusos de Laurindinha, eles podiam estar frouxos!

Laurindinha fala que ia embora por que não conseguia entender: tinha visto uma chupeta na boca de Paulo e, como mágica, ela nunca havia existido.
- Eu joguei fora! - fala Paulo, na sua inocência querendo mostrar pra Laurindinha que ela não estava lé lé.
Zé Coisó, como quem conta um segredo fala no ouvido de Paulo:
- Você nunca teve chupeta nenhuma, né Paulo? Como pode ter jogado uma fora?
Paulo, esperto, afirma com a cabeça e olha pra Zé Coisó como quem dissesse "Entendi o jogo!"
Laurindinha vai embora boba com a chupeta que existe e não existe ao mesmo tempo.
avatar
Igor
Malabarista
Malabarista

Mensagens : 390
Data de inscrição : 22/07/2012
Idade : 26

Re: Coisas de Zé Coisó

Mensagem por Igor em Sab 25 Maio 2013 - 23:51

Aqui vem o Igor, sem cartola, sem nariz, sem sobrancelha arqueada falar da experiência vivida hoje no IJF, dia 25 de Maio. Há uns 2 ou 3 atos consecutivos vinha visitando a enfermaria 14 e vendo que uma criança nunca reagia às músicas e às brincadeiras do Zé Coisó, Lucas. Eu tinha muita dificuldade até de olhar para ele, via muito sofrimento. Ele parecia estar ali, mas ao mesmo tempo não estar, vegetando, não reagindo nem com os olhos.

Hoje, o dia foi de mudança, de alegria. Entramos no quarto, Girassol, Cookie e Zé Coisó, e o Lucas acompanhou com os olhos e a cabeça a nossa entrada. Foi lindo ver aquilo. Mas o que me comoveu mais ainda foi ver, ao ritmo da “Cantiga do Sapo” e ao som do pandeiro, Lucas levantar um braço e acompanhar a música abrindo e fechando a boca. Não saiam palavras, mas você via que havia vida no movimento, no sentir a música!

Uma tarde incrível e um prazer maior ainda em poder ter vivenciado a evolução do Lucas. Espero que na próxima visita, ele toque o pandeiro pro Zé Coisó dançar!
avatar
Angel Alice
Malabarista
Malabarista

Mensagens : 401
Data de inscrição : 20/05/2013
Idade : 24

Re: Coisas de Zé Coisó

Mensagem por Angel Alice em Seg 21 Out 2013 - 23:23

Aaaaaaah, eu adorei esse espaço do Zé Coisó! bounce 
avatar
Igor
Malabarista
Malabarista

Mensagens : 390
Data de inscrição : 22/07/2012
Idade : 26

Re: Coisas de Zé Coisó

Mensagem por Igor em Dom 17 Nov 2013 - 11:25

A dificuldade da porta

Nesse fim de semana, Zé Coisó voltou a ser muito bem acompanhado por letradas, 2 doutoras-palhaças. Relembrou dos tempos que Dra. Sementinha e Dra. Kajuina com K o atormentavam com seus aparatos e traquitanas médicas de meia tigela e piadas de fazer banguela bater os dentes.
As doutoras vieram de fora, disseram que da Palhaçolandia, pra endurecer miolos moles e apertar parafuso frouxo.

No primeiro quarto do 4o andar, Zé Coisó, Dra. Amora e Dra. Pirueta se depararam com um grande dilema: o quão difícil seria passar pela porta para entrar no quarto? Zé Coisó disse que de todos os graus de dificuldade que existem, passar pela porta deveria ter o nível mais difícil de todos, já que passar por portas é algo realmente complicado. Enquanto discutiam veementemente, do lado de fora do quarto, uma moça entra facilmente no quarto. O espanto foi grande! Ela dominava a técnica de passar por portas facilmente e precisava ensinar aos palhaços. Ela disse que era simples e passou a bula de instruções: basta entrar!

Os palhaços, mesmo com essa importante informação, não conseguiram entrar. Faltava algo.
Zé Coisó pergunta se alguma contagem funcionaria como voucher pra entrada. Disseram que sim! Mas como seria? Zé Coisó explicou que, por ter feito apenas 3 módulos do Mobral, o 1, o 2 e o Mobral 3, só sabia contar até 3. Uma linda menina disse que os três módulos já eram de bom tamanho para permitir a entrada.
Dra. Pirueta, encucada com a dificuldade que a porta exalava, resolveu virar porta também e mostrar que era tão difícil quanto a porta original. Sua perna serviu como uma excelente cancela e sua barriga como uma eficaz fechadura. Com 1, 2, 3 e uma chave a entrada dos palhaços estaria garantida.
Mas e a chave? Dra. Amora puxou do jaleco que cheirava a fruta roxa doce, uma caneta, a melhor chave para de abrir uma porta-palhaça.

1 do mobral 1, 2 do mobral 2 e 3 do mobral 3, bota a caneta no umbigo da Pirueta, gira e... cancela de perna foi aberta, Zé Coisó dentro!

Nenhuma porta é difícil quando o palhaço sabe contar até 3.
avatar
Igor
Malabarista
Malabarista

Mensagens : 390
Data de inscrição : 22/07/2012
Idade : 26

Re: Coisas de Zé Coisó

Mensagem por Igor em Dom 17 Nov 2013 - 12:22

O pássaro-balão

O expediente das doutoras estrangeiras ainda não havia acabado no fim de semana besteirológico. Enquanto Zé Coisó conversava com uma linda menina, perguntando se ela sabia mais segredos sobre as portas, perguntando se ao invés de números, nomes de frutas também funcionariam como senha, Dra. Pirueta mexia no seu jaleco. Procurava um piolho de estimação ou um suco de Quicá (só eles, da Palhaçolandia, conhecem tal suco, gosto e sabor)? Nem um, nem outro!

Tirou algo mole, meio emborrachado, amarelo e que quando soprava, inflava e ficava bem redondo!
A linda menina disse que era um balão. Balão? Nunca os palhaços saberiam o que era um balão. Pediram pra ela explicar o que seria um balão.
Ela pensava e o tal balão, nas mãos da Pirueta, fez um barulho! Um piado!
- Piuuuuu!
Se era um piado, o balão não poderia ser nada mais, nada menos que um pássaro!

Os palhaços se animaram:
- Nossa, um pássaro-balão!!

O raro pássaro-balão estava ali diante dos olhos e narizes vermelhos!

Nunca ninguém havia o visto antes, mas a linda menina disse que já o conhecia e que já tinha se deparado com um verde, de bico verde e detalhes amarelos!

Dra. Pirueta nem sabia, mas carregava consigo, no bolso do jaleco, bem mais que uma bexiga amarela vazia... Um sopro e um pouco de imaginação criam novas e raras espécies!
avatar
Angel Alice
Malabarista
Malabarista

Mensagens : 401
Data de inscrição : 20/05/2013
Idade : 24

Re: Coisas de Zé Coisó

Mensagem por Angel Alice em Dom 17 Nov 2013 - 12:32

Hahahaha. Adorei! Analice pediu pra dizer que a dra. Agostina também tinha um negócio amarelo parecido, mas o dela, Analice logo viu que era um cachorro que voava! :O Muito legal, esses bixos criados nos jalecos dos besteirologistas que nos visitaram!

Conteúdo patrocinado

Re: Coisas de Zé Coisó

Mensagem por Conteúdo patrocinado

  • Novo Tópico
  • Responder ao tópico

Data/hora atual: Dom 22 Out 2017 - 1:24